São Paulo passa fácil pelo RB Brasil, vai à semi do Paulista e ameniza crise

Ceni exalta confiança, manda abraço a Muricy e se esquiva sobre Sabella

Milton Cruz descarta virar técnico fixo e elogia Sabella, principal alvo do clube

Falcão visita São Paulo, vê vitória sobre o RB Brasil e tieta Rogério Ceni

quinta-feira, 23 de abril de 2015

São Paulo reduz preço dos ingressos no mata-mata contra o Cruzeiro: R$ 60

Clube decide cobrar nas oitavas da Libertadores metade do valor praticado na fase de grupos. "Prefiro 40 mil pagando R$ 60 do que 20 mil cobrando R$ 120", diz dirigente



O São Paulo quer o Morumbi lotado nas oitavas de final da Taça Libertadores, contra o Cruzeiro, no dia 6 de maio, pela partida de ida. Por isso, o departamento de marketing decidiu reduzir pela metade o preço dos ingressos no mata-mata. 
Após cobrar R$ 120 nos bilhetes para torcedores comuns na fase de grupos, medida alvo de protestos, o Tricolor agora estabeleceu R$ 60 para o público geral. Sócios-torcedores ainda terão descontos nesse valor.
– Queremos no mínimo 40 mil no Morumbi. Precisamos dessa receita. Prefiro ter 40 mil cobrando R$ 60 do que 20 mil pessoas pagando R$ 120. A torcida precisa vir prestigiar o estádio e o time. Essa é a vontade do presidente (Carlos Miguel Aidar) – explicou o vice-presidente de marketing, Douglas Schwartzmann.
O dirigente considerou um sucesso a promoção "VC + 01" realizada no clássico contra o Corinthians, na última quarta-feira, no Morumbi. Nela, o torcedor que comprasse um bilhete tinha o direito de levar um convidado para assistir ao jogo em todos os setores, com exceção dos camarotes, cativas e setor visitante.
O Tricolor bateu o rival Corinthians, por 2 a 0, com um público total de 38.772 pessoas, para uma renda de R$ 3.113.120,00. Agora, a expectativa de Douglas é ter o Morumbi cheio nas oitavas.
– Entendemos o recado da torcida. O São Paulo entendeu, comprei a ideia e o presidente está de acordo. O preço que gostam é esse. Estamos sensíveis ao que os torcedores querem. Ninguém é dono da verdade. A torcida é o mais importante. Tudo o que fazemos é por eles. Nem sempre vamos acertar, mas tudo o que fazemos é com esse pensamento. Eles (torcedores) querem ter acesso mais fácil e nós abrimos mão – finalizou.

Torcida São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)
Em luta para fugir da crise financeira, o São Paulo acertou dois patrocinadores para esta temporada. A Gatorade expõe sua marca em todas as mídias sociais do clube (Twitter, Facebook, Instagram e Youtube) por R$ 8 milhões, sendo R$ 2 milhões anuais, e a Copa Airlines, que paga R$ 4 milhões em um acordo envolvendo ações estratégicas de comunicação de publicidade, relacionamento e visibilidade internacional.
A companhia aérea, inclusive, estampou sua marca no clássico contra o Corinthians, na última quarta-feira, e na vitória de virada por 2 a 1 sobre o Danubio, no Uruguai. Essa exposição estava prevista no acordo. 

Globo Esporte

Luis Fabiano festeja gol marcado no Majestoso: "Time precisava de mim"

Atacante iguala Rogério Ceni como maior artilheiro do Tricolor em Libertadores, mas aguarda julgamento da Conmebol, que analisará expulsão no clássico contra o rival


Com Alexandre Pato impossibilitado de atuar por causa de uma cláusula contratual e Alan Kardec machucado, coube a Luis Fabiano a missão de faze gol e ajudar a garantir a vitória do São Paulo sobre o Corinthians, por 2 a 0, na última quarta-feira, pela Taça Libertadores. O camisa 9 não decepcionou e balançou a rede adversária com um chute cruzado aos 31 minutos do primeiro tempo, após jogada de Reinaldo pela esquerda e arremate errado de Hudson. Esse lance fez o Fabuloso se igualar a Rogério Ceni na lista dos maiores artilheiros da história do Tricolor na Libertadores, com 14 gols. 

Luis Fabiano São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)

No segundo tempo, o jogador foi expulso por simular uma agressão do atacante Mendoza, do Timão. Mesmo assim, ele revelou ter saído com a sensação de dever cumprido por ter ajudado o Tricolor a quebrar um jejum de oito anos sem vitória sobre o adversário em casa e a garantir vaga nas oitavas de final da competição sul-americana.
– Eu sabia que o time precisava de mim. Passamos por momentos difíceis, mas nunca deixamos de acreditar no nosso potencial. Saio daqui com a missão cumprida. Nós estávamos em uma chave que era vista como o grupo da morte, mas fizemos 12 pontos. E isso não é pouca coisa. O São Paulo tem o DNA da Libertadores e, com certeza, vamos chegar fortes nas oitavas – afirmou o jogador, em entrevista ao site oficial.


Por causa do cartão vermelho no Morumbi, o atacante será desfalque na partida de ida contra o Cruzeiro, que será realizada no dia 6 de maio, no Morumbi. Resta saber agora se ele tomará um gancho maior do Comitê Disciplinar da Confederação Sul-Americana de Futebol, que analisará o caso nos próximos dias.

Globo Esporte

Após entrave, São Paulo e destaque da base acertam acordo de renovação

Novo vínculo de Joanderson com Tricolor é registrado na CBF. Contrato é válido até 2018, mas empresário e clube conversarão nesta sexta para prorrogação até 2020


O São Paulo não corre mais riscos de perder o atacante Joanderson. Na quarta-feira, o novo vínculo do jogador de 19 anos apareceu no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF, com validade até fevereiro de 2018. Nos últimos dias, clube e empresário chegaram a um acordo, e agendaram uma reunião para a próxima sexta-feira para formular um novo contrato, este válido até 2020.
O documento que entrou em vigor na quarta-feira tem data de 16 de fevereiro de 2015. Exatamente um dia depois do término do contrato amador do jogador. Com o direito de preferência no primeiro contrato profissional dele previsto pela Lei Pelé, o clube havia protocolado a proposta na Federação Paulista de Futebol antes do término do vínculo. O mecanismo foi a forma de defesa do Tricolor para não perdê-lo diante do assédio de outros times.
Notificado pela FPF, Joanderson teria de responder ao Tricolor dentro do prazo previsto, o que não aconteceu. O São Paulo, então, consultou a CBF e recebeu a resposta de que a proposta protocolada e não respondida significaria a renovação automática do contrato - o que aconteceu nesta semana. Procurada, a diretoria do clube e os representantes do jogador confirmaram o acordo. Agora, uma extensão até 2020 deve ser sacramentada nesta sexta-feira.
Da mesma geração de Auro, Boschilia e Ewandro, o atacante canhoto é visto como uma grande promessa e pode ser integrado ao profissional para a disputa do Campeonato Brasileiro. Fora do clube desde o início do ano, ele treina em uma academia para manter a forma física.
Joanderson, atacante do São Paulo (Foto: Divulgação / Site oficial SPFC)

Quem é
O São Paulo não inscreveu Joanderson na Copa São Paulo de Futebol Júnior, disputada em janeiro, já que seu contrato estava no fim. O clube abriu mão de um jogador que tem bons números nas divisões de base, com medo de perdê-lo.
No Tricolor desde 2011, quando entrou na categoria sub-15, marcou 27 gols em 31 jogos em 2013, ano em que foi campeão e artilheiro da Copa do Brasil sub-17 e chegou à seleção brasileira, disputando o Mundial da categoria nos Emirados Árabes. 
Em 2014, fez 18 gols pelo clube, sendo sete deles na Weifang Cup, torneio sub-19 disputado na China em que foi goleador e eleito o melhor jogador.

Globo Esporte

São Paulo supera Flamengo em número de sócios-torcedores

Tricolor chega a mais de 54 mil adesões, na sétima posição geral, ultrapassando o Rubro-Negro. Clube pretende reformular programa no início de maio


O São Paulo superou o Flamengo em número de sócios-torcedores nesta quinta-feira à tarde. De acordo com o site "Movimento por um Futebol Melhor", o Tricolor agora tem mais de 54 mil adesões, ultrapassando o Rubro Negro, que tem pouco mais de 53,9 mil cadastrados no programa. Agora, o time é o sétimo na posição geral, atrás dos rivais Santos (sexto), Corinthians (terceiro) e Palmeiras (segundo). O Internacional segue na liderança, com 130 mil sócios.

Estádio do Morumbi, em São Paulo (Foto: Murilo Borges)
A promessa do São Paulo é de reformular o programa de sócios-torcedores na primeira semana de maio. O clube quer aproveitar o lançamento da nova camisa para impulsionar o crescimento. A nova fornecedora de material esportivo do clube vai revelar o uniforme da temporada no dia 7 de maio.
O Tricolor pretende encerrar 2015 com pelo menos 80 mil sócios. Entre janeiro e dezembro de 2014, o clube arrecadou R$ 14 milhões com o programa. A intenção agora é fechar este ano com R$ 28 milhões de receita.

Globo Esporte


São Paulo revela imagens de "pedaços" das novas camisas

Fotos mostram um pouco dos uniformes que serão lançados no próximo dia 7



As novas camisas do São Paulo, feitas pela norte-americana Under Armour, serão lançadas no dia 7 de maio, mas já estão em fase de pré-venda (clique aqui). Nesta quinta-feira, duas imagens dos novos modelos do uniforme foram disponibilizadas na internet.

Arte - Nova Camisa do São Paulo - 690 (Foto: globoesporte.com)

Em uma ação para promover a venda dos novos uniformes, o clube produziu recentemente um vídeo com depoimentos de vários jogadores sobre as novidades. Mas as camisas não eram mostradas (assista ao vídeo abaixo). 
A São Paulo Mania, loja virtual oficial do Tricolor, oferece ao torcedor são-paulino, já nesta fase de pré-venda, variedade de opções, com versões "Jogador", "Torcedor", "Feminina" e "Infantil", além de três modelos diferentes de camisas de goleiro. As novas camisas variam entre R$ 189,90 e R$ 349,90.
acordo com a Under Armour foi feito em março. O contrato começa a valer no dia 1º de maio e renderá ao clube do Morumbi R$ 135 milhões em cinco anos. A empresa americana chega ao Tricolor para substituir a Penalty.

Globo Esporte

Sabella desaparece do mapa e São Paulo desiste de contratá-lo

Sabella não trabalha desde o fim da Copa do Mundo de 2014 (Marcelo Ferrelli/Gazeta Press)
Alejandro Sabella está descartado pelo São Paulo. O motivo: o argentino não atende as ligações, nem retorna qualquer contato desde a semana passada. O prazo combinado para uma resposta do treinador também já terminou, o que enfureceu o presidente Carlos Miguel Aidar.
Para completar, um empresário brasileiro com excelente trânsito no futebol inglês avisou o Tricolor de que Sabella nunca nem sequer foi cotado para assumir o Manchester City, justificativa dada pelo técnico para adiar o “sim” ao clube.
Sabella desaparece do mapa e São Paulo desiste de contratá-lo

Exceto pelo vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, todos os outros altos diretores do São Paulo já davam Sabella como carta fora do baralho antes do jogo contra o Corinthians, na noite de ontem - o Tricolor venceu por 2 a 0, se classificou para as oitavas de final da Libertadores e terá o Cruzeiro como adversário.
Já Ataíde, que defende a ideia de um treinador estrangeiro, fez contato ontem mesmo com Ramon Diaz, que dirige a seleção paraguaia desde dezembro do ano passado. O argentino é o técnico com mais títulos na história do River Plate e prepara os paraguaios para a disputa da Copa América, com início previsto em 11 de junho.
Ataíde é absolutamente contrário �� contratação de Vanderlei Luxemburgo, técnico preferido dos torcedores e do próprio Aidar. O problema é que o presidente quer a definição de um comandante para já, a fim de dar tempo para que ele prepare o time para a fase de mata-mata da Libertadores.


Blog Do Jorge Nicola

Michel Bastos é decisivo em todas as vitórias do São Paulo na Libertadores

Meia ajuda em seis dos nove gols do Tricolor na competição e é o principal garçom da temporada, com oito assistências. "Fico feliz por estar sendo decisivo", afirma



O torcedor do São Paulo se acostumou a ver Michel Bastos sendo decisivo nessa temporada. Sem ser tão badalado como os companheiros Rogério Ceni, Paulo Henrique Ganso e Luis Fabiano, ele tem aparecido nos momentos fundamentais. Na Taça Libertadores isso fica ainda mais evidente: o meia foi fundamental em todas as vitórias do Tricolor na competição. Ele contribuiu em seis dos nove gols do time. 
– Pode me chamar a qualquer hora (risos). Estou à disposição sempre. Vim para jogar e ajudar o São Paulo. Fico feliz por estar ajudando e sendo decisivo. Todos precisam ser parabenizados pelo jogo contra o Corinthians – disse. 

São Paulo x Corinthians Michel Bastos (Foto: Marcos Ribolli)

Na vitória da classificação sobre o rival Corinthians, na última quarta-feira, no Morumbi, Michel Bastos deixou sua marca. Ele iniciou a jogada do gol de Luis Fabiano, o primeiro, e fez o segundo com um chute de fora da área, definindo o 2 a 0 que colocou o time nas oitavas de final.
Na suada virada sobre o Danubio, no Uruguai, por 2 a 1, o pé esquerdo dele também apareceu com assistências. O meia fez os dois cruzamentos para Alexandre Pato e Centurión marcarem, na última quarta-feira (dia 15).
Antes, diante do San Lorenzo, no dia 18 de março, Michel Bastos também salvou o Tricolor. O gol aos 44 minutos do segundo tempo garantiu o placar de 1 a 0 contra o time argentino, no Morumbi.
Por fim, no dia 25 de fevereiro, também no Morumbi, o meia novamente teve boa atuação. A goleada por 4 a 0 sobre o Danubio teve a participação dele em dois gols: o de Reinaldo e o de Alexandre Pato, na bola na rede que abriu o caminho da vitória.
Portanto, nas oitavas de final contra o Cruzeiro o torcedor são-paulino sabe bem em quem depositar as esperanças por um gol decisivo.
Globo Esporte


Ganso acredita que São Paulo ainda tem o que melhorar na Libertadores

Meia afirma que as oitavas de final representam o "início real" da Taça Libertadores, e que o Tricolor paulista precisa melhorar ainda mais para poder passar pelo Cruzeiro



O meia Paulo Henrique Ganso admite que a equipe do São Paulo precisa melhorar se quiser ir mais longe na Taça Libertadores. A afirmação do jogador foi feita logo após a vitória do Tricolor sobre o Corinthians por 2 a 0 na noite desta quarta-feira, no Morumbi. O resultado classificou o time são-paulino para as oitavas de final da competição.

- Acho que a gente tem que melhorar ainda mais do que foi hoje. Foi muito bom, mas a gente tem que melhorar para os próximos jogos para os adversários respeitarem a gente também.

Ganso São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)

O adversário do São Paulo nas oitavas é o Cruzeiro, bicampeão brasileiro e que assim como o Tricolor passou por momentos de altos e baixos na primeira fase. Na opinião de Ganso, no entanto, agora é que a Libertadores começa para valer. 
- Agora começa a Libertadores de verdade. Oitavas, quartas... Os jogos começam a ficar bons. (...) Não dá para escolher. É o bicampeão brasileiro que a gente vai enfrentar. Temos que respeitar a equipe deles, mas fazer o que foi feito e até melhor do que foi feito hoje - disse Ganso. 

Sobre o desempenho do time contra o Corinthians, Ganso se disse feliz pela partida e que o São Paulo demonstrou que possui um elenco forte. 

- A gente fica feliz pela partida que o São Paulo fez. Um grande rival, que vem apresentando um bom futebol mesmo, realmente. Vem fazendo o bom trabalho desde o início do ano. E a gente mostra que o nosso elenco é forte por ganhar deles.

Ganso também lembrou que um dos trunfos do São Paulo no jogo foi marcar a saída de bola do Corinthians. 

- A gente se definiu a marcar a saída de bola deles, o que dificultou para o Corinthians e facilitou para gente.

Globo Esporte

Opinião: orgulho e sangue na noite em que o São Paulo se redescobriu

Numa noite que se anunciava trágica, time revive melhores tempos com estudo do rival, dignidade dos jogadores e Luis Fabiano no estado mais puro: gol e expulsão


A uma hora do início do clássico, roqueiros entoavam o hino do São Paulo para arquibancadas semivazias e as pessoas se olhavam no Morumbi como se perguntassem: “estamos celebrando o quê?”. Ninguém confiava na equipe. Havia um temor de que aquele show inoportuno apenas se transformasse em razão de chacota ainda maior depois da decantada vitória do Corinthians.
Mas bastou o primeiro dos 90 minutos para que o torcedor sentisse um ardor inédito neste ano. Quando um time quer jogar, a sintonia é imediata. Sabe-se lá em qual nota musical, mas ficou claro que quem estava dentro de campo falaria, na noite daquela quarta-feira, o mesmo idioma de quem estava na arquibancada: a linguagem do orgulho.



“É hoje!”, gritou um torcedor empolgado diante da transpiração das camisas tricolores. O São Paulo suou. Sujou o calção e ajudou a limpar sua dignidade, manchada por atuações recentes vergonhosas. Deixou para trás o tom blasé de quem jogava futebol como se estivesse tomando um chá das cinco com a rainha da Inglaterra e redimiu-se contra o maior rival numa partida que deve servir de guia se a equipe tiver ambições à altura de sua tradição em 2015.
A noite em que o São Paulo se redescobriu teve em um de seus ícones a demonstração mais pura de que, sim, ali naquelas veias corre sangue. Luis Fabiano foi puro Luis Fabiano em seu fabuloso destino de caminhar na linha tênue entre o heroísmo e a vilania. No temperamento inexplicável do artilheiro, há espaço para o herói e o vilão. Eles parecem se amar.
Quanto mais Luis reclama, mais ele joga. Quando mais esbraveja, mais bolas consegue dominar. Quanto mais raiva exibe em sua expressão facial, maior a chance de fazer gols como fez ainda no primeiro tempo. Parou na esquina. Deu mole. Viu o árbitro lhe dar dois cartões amarelos na etapa final com a mesma velocidade que ele já esbanjou em tempos de juventude por aquele gramado do Morumbi. Mais um gol, mais um cartão vermelho. 
Luis Fabiano São Paulo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net)
É o “pacote fabuloso”. Os aplausos durante sua caminhada até o vestiário são autoexplicativos. O gol foi maior.
Brilhavam os olhos tricolores ao ver o poderoso Corinthians de Tite encolhido diante de seu toque de bola. As expulsões mudaram a cara do jogo, mas o São Paulo foi melhor do primeiro ao último minuto. Engoliu o rival que já não trucida com facilidade quem atravessa seu caminho. Foi grande como ainda não havia sido em 2015, e como não se imaginava que poderia ser neste jogo.
Grande a ponto de deixar o Corinthians sem saber o que fazer. Era bola pra lá, bola pra cá, e já com 2 a 0 no placar, o torcedor gritava: “Vamos pra cima deles!”. É como se o menininho do prédio finalmente tivesse crescido e pudesse encarar o vizinho mais velho na bola, no olhar, na imposição. O menino virou homem e se portou como tal.
O São Paulo não se redescobriu à toa. Estudou o rival e viu que precisava afundar mais jogadores pelos lados do campo. Usou o 4-4-1-1 com eficiência. Em determinados momentos, tinha seus 10 jogadores de linha no campo de ataque. Mas, sobretudo, o São Paulo se redescobriu na postura. Não teve medo da partida, do favoritismo alvinegro ou do retrospecto de oito anos sem vitórias em sua casa. 
Os jogadores tiveram, sim, vontade de fazer com que cada torcedor saísse do Morumbi orgulhoso e representado, que ao se olharem no espelho enxergassem o rosto dos que estavam em campo, e que dormissem com a camisa do São Paulo sem querer acordar tão cedo.
O Corinthians ainda é melhor, mais bem preparado. É inegável. Mas o São Paulo provou a si mesmo que a grandeza não está apenas nas estrelas de sua camisa. Aqueles que a vestem também precisam ser grandes. Dessa vez foram.

Globo Esporte